Início > Educação Sexual > Aparelhos Sexuais:

Aparelho Sexual Feminino - Aparelho Sexual Masculino

Neste quadro, estarei apresentando os aparelhos sexuais masculino e feminino. Não usarei a concepção de "aparelhos reprodutores" pois entendo que a reprodução é conseqüência de um ato sexual, a exceção daquela induzida através da interferência de tecnologia para tal, como a fertilização "in vitro", ou a inseminação artificial. Cabe deixar claro que as informações aqui contidas estão dirigidas ao público homossexual, muito embora os não-homossexuais possam se utilizar das mesmas, sem problema. Para terminar, não procurei dar ênfase ao sistema reprodutivo, mas sim dar um enfoque informativo para que tanto gays, lésbicas, bissexuais e transexuais, dentre outros, possam ter uma vida sexual mais sadia e feliz baseada em informações seguras extraídas de material sobre Educação Sexual. Os textos não são extensos, facilitando a leitura sem comprometer o conteúdo, entretanto solicito que você procure bibliografia a respeito caso pretenda se aprofundar mais.

Índice desta página
(clique sobre o assunto para consulta rápida)

Morfologia e Fisiologia Sexuais

Morfologia pode ser entendida como sendo o estudo das formas e Fisiologia, como a investigação das funções orgânicas, processos ou atividades vitais. Geralmente estes estudos estão ligados à reprodução humana, pois para nós é importante saber como este processo se dá e nos torna diferenciados.

Índice

Os Hormônios são os responsáveis

A Hipófise é a glândula responsável pela diversidade humana e sua conexão com o Hitpotálamo leva a pensar o quanto a sexualidada está intimamente ligada aos aspectos psicológicos e afetivos do ser humano.

CLIQUE PARA VER A IMAGEM E TAMANHA MAIOR
Figura es2.jpg

1 - Hipófise
2 - Ovário
3 - Testículo

CLIQUE PARA VER A IMAGEM MAIOR
Figura es1.jpg

1 - Genitália
2 - Distribuição de Pêlos
3 - estruturação óssea e muscular

A hipófise produz os hormônios gonadotróficos (estimulantes das gônadas), que agem sobre os testículos, estimulando-os a produzirem os espermatozóides e a secretarem o hormônio denominado testosterona, responsável pelas características masculinas primárias (pênis, testículos e outros) e secundárias (distribuição de pêlos, musculatura, estruturação óssea, etc.) Na mulher, estimula a formação e o aparecimento dos folículos dentro dos quais se encontram os óvulos e induzem à formação de dois importantes hormônios que mantém as características femininas, a ovulação, o ciclo menstrual e o início da gestação.

Índice

Conceito de Sexo

Abaixo darei breves conceitos a respeito de sexo, baseados na ótica ocidental e na sociedade contemporânea em que vivemos.

Sexo Biológico - é aquele definido pela observação da genitália externa da criança quando de seu nascimento.
Sexo Jurídico -  é aquele atribuído a criança pelo enquadramento no registro civil (em cartório), definindo-a como masculino ou feminino.
Sexo Psicológico -  é o conjunto de aspectos diversos: atitude, linguajar, vestimentas, etc, uma vez expressados no comportamento dos adultos a ser incorporada por aquela pessoa.

Biológico Psicológico Jurídico
Genético Endócrino Morfológico

Índice

Sexo Biológico Genético
Pode ser dividido em Cromossômico e Cromatínico

1. Cromossômico

No núcleo de cada célula humana existem pequenas estruturas que são os comossomos. O conjunto de cromossomos de uma célula denomina-se cariótipo, e este número é próprio para cada espécie:

44 cromossomos AUTOSSOMOS + 02 cromossomos SEXUAIS = 46 cromossomos

44 A + XX = 46 44 A + XY = 46
MULHERES Sexo Feminino HOMENS Sexo Masculino

A determinação e diferenciação do sexo (masculino ou feminino) é exclusividade do cromossomo sexual masculino. Veja o esquema abaixo que mostra os dois cromossomos sexuais. O óvulo é sempre X, e o espermatozóide pode ser X ou Y. Por isso, o cromossomo sexual masculino é que é determinante.

Óvulo (Mãe) Espermatozóide (Pai) Vão gerar...
ovulo.gif (1059 bytes) sptzx.jpg (4036 bytes) mulher.gif (1027 bytes)
uma filha (XX)
ovulo.gif (1059 bytes) sptzy.jpg (3742 bytes) homem.gif (1057 bytes)
um filho(XY)

Os espermatozóides fornecem cromossomos com mais de 8 milhões de características possíveis, que combinadas com as do óvulo, possibilitarão o nascimento de mais de 70 bilhões de filhos diferentes, a partir de um único casal.

Numa célula ovo que originará um novo indivíduo, são as informações presentes nos cromossomos sexuais que serão responsáveis pelo aparecimento das características sexuais primárias e características sexuais secundárias.  A diferença entre os cromossomos sexuais será responsável pela formação de glândulas sexuais (gônadas) masculinas ou femininas e a conseqüente produção diferenciada de hormônios sexuais em cada sexo. Contudo, é preciso considerar que, a identificação psicológica do sexo da pessoa tem sua determinação, muitas vezes, independente da determinação biológica, o que confere a ela um caráter subjetivo de determinação e constatação.

2. Cromatínico

As celulas femininas, que apresentam XX como cromossomos sexuais, possuem na face interna da membrana nuclear (carioteca), uma mancha, ausente nas celulas de homens "normais". Esta mancha (mais corada que o restante do núcleo), é denominada cromatina sexual ou Corpúsculo de Barr que nada mais é que um dos cromossomos X das celulas femininas, que permanece completamente e constantemente condensado.

Índice

Sexo Biológico Endócrino

É somente por volta do 7° mês de vida intra-uterina, que os genitais externos e internos serão concluídos, no feto. Antes disso, são anatomicamente indistingüíveis. Essa diferenciação prossegue até a puberdade, com a entrada em funcionamento das gônadas e o aparecimento dos caracteres sexuais secundários, sob a ação hormonal. Antes da formação das gônadas, até a 6a. semana de gestação, há um estado de bipotencialidade, podendo diferenciar-se em testículos (por volta da 8a. semana) ou ovários (por volta da 12a. semana). Após essa definição, ocorre a diversificação anatômica em 3 locais diferentes do corpo:

  • nos órgãos genitais externos
  • nas estruturas sexuais internas
  • no cérebro

Esta diferenciação seria o resultado da quantidade circulante do hormônio masculino (testosterona), sem a qual, ainda que o sexo genético seja XY, o desenvolvimento poderá ser feminino ou indiferenciado.

Uma vez definidas, as gônadas produzirão hormônios que determinarão as características sexuais secundárias, como o aparecimento puberal de mamas, coxins adiposos e ciclos menstruais (para as  mulheres) e, aumento da massa muscular e o desenvolvimento puberal da genitália externa (nos homens). Percebe-se, portanto, que o sexo fenotípico (aparência do indivíduo), depende de seus genitais internos, externos e dos caracteres secundários.

Índice

Sexo Biológico Morfológico

Pode ser caracterizado através de dois componentes distintos:

1 - o sexo morfológico propriamente dito, que se subdivirá nos caracteres genitais (configuração anatômica dos genitais internos e externos e gônadas) e, nos caracteres extragenitais (compreendendo as características sexuais secundárias, uma vez que são decorrentes da ação hormonal produzida pelas gônadas.

2 - o sexo dinâmico ou copulativo que correponde ao conjunto de ações relativas e envolvidas no ato sexual: erotização, apetite sexual, a ereção, a lubrificação a penetração, o movimento, o orgasmo, a ejaculação, a flacidez e o relaxamento.

Índice

Sexo Psicológico

É muito difícil lidar com esta temática pois não há consenso de idéias, haja vista que vários são os fatores que contribuem para que os individuos construam sua reação psicológica frente a sexualidade, e são três as característica principais do sexo sob esta ótica:

1° o Sexo Educacional, ou de Formação Sexual (Familiar)
2° o Papel de Gênero (Social)
3° a Identidade de Gênero (Individual)

O contexto social em que o ser humano está inserido, em muito contribui para sua formação. Os valores sociais, as expectativas, a moral etc., são valores que são introjetados na criança desde os primeiros momentos de sua vida. É o chamado sexo de criação que busca determinar as características de gênero, masculino ou feminino, impostas sócio-culturalmente. Desta forma, o sexo educacional é extremamente dependente das características sociais. Os conceitos de gênero, masculino ou feminino, começam a se apresentar nos tratamentos de menina e menino e são colocados para funcionar, mesmo quando o bebê é muito pequeno. Esta introjeção tem sua correspondente na cobrança social e a pressão é muito grande para que todos/as possam atender as expectativas.

Assim é que o papel de cada gênero vai sendo imposto a cada um, na medida em que crescemos. Características sócio-culturais do que é tido como próprio para meninos e meninas vão sendo apresentadas e cobradas. São os modos e atitudes de andar, sentar, correr, o linguajar, o corte de cabelo, as roupas, os gestos permitidos e aprovados, as reações temperamentais esperadas, etc. Trata-se de uma resposta comportamental ao que foi ensinado para cada sexo.

Quando as expectativas sociais de gênero não são atendidas, temos um choque entre o que foi ensinado e o que a pessoa sente que deve ser para si. A medida em que o indivíduo se realizar sexualmente sua identidade de gênero tende a se firmar, seja ela heterossexual, homossexual ou bissexual.

Índice

Identidade Sexual, ou identidade erótica, que pode manifestar-se na escolha dos comportamentos heterossexual, homossexual ou bissexual.

Orientação Sexual, ou atração sexual é a referência feita ao objeto de atração e do prazer sexual. As pessoas não escolhem ter comportamento homossexual, hetero ou bissexual, elas apenas se orientam em relação a atração sexual que lhes dá mais prazer.

Índice

Sexo Jurídico

Desde que o indivíduo nasce, seu sexo jurídico é constituído juntamente com sua identidade jurídica. O registro civil é o primeiro documento que caracteriza este procedimento. Além dele, encontramos outros documentos que certificam o sexo jurídico do indivíduo: alistamento militar, título de eleitor, etc. Assim, ele passa a ter direitos e deveres perante a sociedade, diferenciados por categoria sexual. Ex: O estupro é caracterizado pela legislação como sendo praticado apenas pelos homens, assim como o auto-aborto é um crime praticável apenas pelas mulheres.

Índice

Os processos de mudança de sexo apresentam um raciocínio lógico, conforme o que segue: uma vez que o registro civil é público e tido como verdadeiro, alterar algo verdadeiro significa substituí-lo por algo falso. No entanto, se o conteúdo, for um erro, um engano de observação, passa a não ser verdadeiro, cabendo ao Direito, corrigí-lo. Diante disto o indivíduo está impossibilitado de solicitar a alteração de seu registro civil, a não ser que haja uma argumentação favorável à autorização da cirurgia que possibilita a mudança de sexo e conseqüente alteração do sexo jurídico.

Todavia, isto não é tão fácil quanto parece, cabendo ao Direito a última palavra, favorável ou não, à adequação jurídica quanto a identidade do indivíduo. Se o Direito não for devidamente subsidiado poderá cometer injustiças, como por exemplo, no caso da modelo e agora escritora Roberta Close que mesmo tendo passado pela mudança de sexo, continua portando documentos originais que a caracterizam como homem.

Índice

 

 

 


1996/2010 - Ano XIV - - Roberto Luiz Warken
www.glssite.com.br

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons